Sítios de Arte RupestreImprimir

VISITA ORIENTADA AO SÍTIO DE ARTE RUPESTRE DA PENASCOSA

Local de partida: Centro de Recepção na aldeia de Castelo Melhor. Esta aldeia fica a 15 kms de Vila Nova de Foz Côa, acedendo-se pela EN 222, em direcção a Figueira de Castelo Rodrigo.

Horário
: No Inverno as visitas iniciam-se a partir das 13h00, e no Verão a partir das 13h30, havendo diversas ao longo da tarde.

Duração da visita
: cerca de 1h30

Percurso pedestre total
– cerca de 600 metros, muito fácil

Devido às elevadas temperaturas atingidas no Verão, recomenda-se fortemente o uso de chapéu e protector solar, e de calçado e roupa confortável, devendo também cada visitante prevenir-se com água suficiente.

Recomenda-se marcação prévia!


Informação geral

O sítio da Penascosa encontra-se numa grande praia fluvial na margem direita do rio Côa, no concelho de Vila Nova de Foz Côa, em terrenos das freguesias de Castelo Melhor e Almendra. A visita inicia-se no Centro de Recepção de Castelo Melhor. Segue-se numa viatura todo-o-terreno, com um guia, por uma estrada de terra por entre os campos plantados com amendoeiras e oliveiras, ao longo de cerca de 6 kms.

No percurso entre a aldeia e o rio podemos ver, da margem oposta, a Quinta de Ervamoira, famosa pelos seus vinhos e pela amplidão dos seus vinhedos, e que tem um Museu de Sítio. Pouco depois chega-se a uma praia fluvial na margem direita do Côa, numa zona de vale aberto, onde o rio ainda corre no seu curso natural. Desde o estacionamento da viatura até à última rocha visitada são cerca de 300 metros a pé, por uma zona larga e plana que não oferece dificuldades, apenas sendo necessário ascender por escadaria de pedra às duas últimas rochas.

A Penascosa é um monte sobre o rio, em cuja encosta se encontram dispersas 36 rochas gravadas, 30 delas com motivos paleolíticos, sendo visitáveis cinco rochas. As rochas gravadas organizam-se em dois grandes conjuntos, um mais a norte, onde se estendem da praia até ao topo do monte, e onde se encontram maioritariamente figuras paleolíticas incisas, havendo também algumas raras figuras do Neolítico e da Idade do Ferro. O outro grupo, onde se desenrola a visita, encontra-se no sector sul, com todas as rochas junto à praia, havendo sobretudo figuras paleolíticas de animais, em picotado e abrasão, representando as várias espécies presentes na arte do Côa.

É o sítio mais visitado do Parque Arqueológico do Vale do Côa, pela facilidade de acesso e pela enorme beleza e tranquilidade do local, assim como pela imensa riqueza das suas gravuras paleolíticas, bem representativas do melhor da arte do Côa.


P
eddy Paper: “Com Lupa, papel e caneta: Vamos descobrir Castelo Melhor?”

Este percurso pedestre, destinado às famílias e às escolas, é efetuado com o auxílio de uma ficha-guia que orienta a descoberta de ruas, de casas e varandas, de pequenos azulejos e outros objetos com história, que estão ainda presentes nas memórias e na vida dos habitantes da pequena aldeia de Castelo Melhor.
 

Esta atividade pretende, em contexto escolar, ocupar o tempo livre entre as saídas para as visitas à Penascosa (descarregar aqui a Ficha-Guia).

 

© CÔA Todos os direitos reservados© All rights reserved