EventosImprimir

Mostrar todos

Visitas de Operadores Privados aos Núcleos de Arte Rupestre do Vale do Côa - Comunicado

De entre as múltiplas relações que a Fundação Côa Parque tem estabelecido com a sociedade civil, desde a sua constituição, sobressai o papel que tem vindo a ser desempenhado por um conjunto, cada vez mais expressivo, de empresas de animação turística que têm vindo a complementar e a diversificar a oferta de serviços de divulgação de todo esse património inserido no território do PAVC, que se estende pelos concelhos de Vila Nova de Foz Côa, Figueira de Castelo Rodrigo, Meda e Pinhel. 

O aparecimento dessa oferta foi sendo acomodado às necessidades da operação comercial da Fundação, através do estabelecimento de protocolos individuais de colaboração. Verificou-se, agora, nesses documentos, a existência de informação já desatualizada, dados discrepantes e incoerentes, passíveis de suscitarem situações equívocas, iníquas e inconvenientes, verdadeiramente incompatíveis com o espírito de imparcialidade e justiça, que deve nortear as relações desta instituição com todos os seus parceiros.

A utilidade da existência de um documento normalizador, que regulasse a atividade dessas empresas, sempre que o objeto do seu serviço for o Museu do Côa e o território do Parque Arqueológico do Vale do Côa.

Com o novo regulamento e a assinatura de novos protocolos com os seus parceiros privados, a Fundação Côa Parque reafirma o seu compromisso com a salvaguarda, preservação e valorização do património do Vale do Côa; o desejo de estimular a atividade empresarial da região, promovendo a emergência de novas formas de colaboração institucional e o aprofundamento das relações de parceria já existentes, subordinando-as ao entendimento que faz da defesa do interesse público e da partilha de responsabilidades, numa base de confiança e lealdade recíprocas; e o empenho em reforçar a capacidade de resposta às crescentes solicitações dos fluxos turísticos.

Doravante, sempre que os serviços de marcações de visita da Fundação receberem pedidos de reserva para visita aos núcleos de arte rupestre, proceder-se-á ao seu agendamento em função dos seus recursos internos e, uma vez verificada a sua lotação, da disponibilidade dos seus parceiros privados que, para esse efeito, serão detentores do dístico patente na imagem.

© CÔA Todos os direitos reservados© All rights reserved